Quinta-feira, 2 de Dezembro de 2010

Da ironia de um europeista

O nosso Embaixador em Paris cultua a ironia.

Umas vezes ácida, outras agridoce e, de quando em vez, ainda suave.

A de hoje, parece-me corrosiva, ainda que pedagógica.

Versa a "inexistência" de uma real e musculada União politica europeia.

A ilustrar tal tese, socorre-se do ex-secretário de Estado americano, Henry Kissinger e da jornalista Teresa de Sousa, ambos em torno de um telefone europeu.

Leia o texto actualíssimo e pertinente.


publicado por weber às 07:59
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Da ironia de um europeist...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...