Terça-feira, 11 de Janeiro de 2011

Da morte, do eu, de Fernado Pessoa

A Sofia Loureiro dos Santos, sabe-se, é poeta e de qualidade.

Sabemos, também, que tem um dos mais interessantes blog's da actualidade, "defender o quadrado", titulo poético, pois.

Surripiei-lhe este belíssimo texto sobre o poeta múltiplo, que disse, um dia, "a língua é a minha pátria" e ainda "morrer é perder-se na curva do caminho, é só não ser visto".

Leiam o post da Sofia por aqui.


publicado por weber às 09:31
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Da morte, do eu, de Ferna...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...