Segunda-feira, 22 de Novembro de 2010

Pacheco Pereira, o "anacrónico"

JPP terá, aos microfones da Antena 1, no seu estilo característico, lançado uma boutade, que Irene Pimentel, no jugular utiliza para escrever um primoroso "ensaio" historiográfico sobre as estruturas repressivas do Estado, em Portugal, entre 1926 e 1932.

Leia-se a boutade, enquadrada pela historiadora:«Ouvi hoje, na Antena 1, da boca de José Pacheco Pereira, que a polícia da I República, «Polícia de Informações», foi uma antecessora da PVDE, polícia política do Estado Novo. Sei que há uma grande tendência hoje para comparar de forma simplista o regime da I República com o Estado Novo, nomeadamente a nível da repressão

JPP considera-se historiador.

Como tal assina muito do que escreve.

Mas falta-lhe, muitas vezes, a oficina e, sobretudo, a ética que enche TODA a escrita historiográfica de Irene Pimentel.

Mas, permitam-me, este sentimento: bendita boutade que tão precioso texto provocou.

Não sei, mas não fora este anacronismo ostentatório e gratuito de JPP e Irene Pimentel não nos teria brindado com texto de mor qualidade histórica, como é seu timbre e apanágio.

 


publicado por weber às 19:15
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Pacheco Pereira, o "anacr...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...