Sexta-feira, 11 de Junho de 2010

Amin Maalouf

O historiador Rui Bebiano, em boa hora assinalou no seu "A Terceira noite" que o libanês, a viver em Paris e a escrever em francês,  Amin Maalouf recebeu, pela sua obra, em que se misturam as suas raízes cristãs de Beirute e muçulmanas do Egipto onde cresceu e se fez homem, mas onde ele lança um olhar critico sobre a insanidade das velhas cruzadas cristãs e sobre a indigência dos novos cruzados do Islão, o prestigiado prémio Príncipe das Astúrias, que pode ver aqui.

 

 


publicado por weber às 10:53
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Amin Maalouf

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...