Domingo, 15 de Maio de 2011

A moral é exacta

mas os "factos" não.

Ferreira Fernandes, na sua crónica de ontem, aborda tema precioso, importante e grave.

Para o ilustrar traz à colação uma "anedota" que corria pelos jornais.

Contudo, pessoa do métier, jornalista do Diário de Lisboa, confirmou-me que não é anedota, mas ocorreu mesmo, em circunstâncias diferentes daquelas que o cronista veste o seu relato.

O chefe mandou um jovem jornalista fazer a reportagem de um revista que estava em cena no Parque Mayer.

Horas depois, retorna o jornalista debalde, sem uma linha para escrever.

- Que aconteceu?, interroga-se o chefe. 

- Não houve representação, responde o jornalista.

- Então o que aconteceu, lança-lhe, perturbado, o chefe?

- O teatro foi devorado pelas chamas...remata, definitivo o jovem escriba.

Mas, leiam a crónica do luso-angolano que vale bem a pena, pela substância, e cuja anedota pretendeu, apenas e só, apimentar.

Aqui.


publicado por weber às 12:46
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. A moral é exacta

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...