Quarta-feira, 15 de Dezembro de 2010

China, Cuba: o comunismo selvagem, desumano, assassino

O dissidente cubano Guillermo Fariñas, vencedor do Prémio Sakharov deste ano, foi representado na cerimónia de entrega do galardão do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, por uma cadeira vazia, dado não ter obtido autorização para sair do país.

Enviou uma mensagem, que foi lida pelo presidente do parlamento Europeu.

A semelhança  com o dissidente chinês, Liu Xiaobo galardoado com o prémio Nobel da Paz, que não pode ir a Estocolmo buscá-lo, é total.

O JN fez-se eco desta situação, que pode ver aqui.

«Por seu lado, o presidente do Parlamento Europeu, Jerzy Buzek, sustentou que mesmo que activistas, como Fariñas, "sejam perseguidos e encarcerados, a sua voz não pode ser silenciada" e "o papel do Parlamento Europeu é amplificar a sua voz", através deste prémio para a liberdade de pensamento.

"A cadeira vazia para o laureado deste ano, Guillermo Fariñas, é o melhor exemplo de como esta luta é importante", disse


publicado por weber às 20:15
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. China, Cuba: o comunismo ...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...