Segunda-feira, 15 de Novembro de 2010

Punica Granatum

Faz dias, participei num belíssimo encontro, em que foi vedeta a romã e as suas múltiplas simbologias.

Uma delas remete para a fertilidade.

Mas, alguns o saberão, na Grécia antiquíssima contava-se que Hades, irmão de Zeus, e Deus do reino das sombras raptou Core, a filha de Deméter e Zeus (que a tinha violado tomando a forma dum touro e de quem teve aquela filha, dita a "jovem", Core).

eméter era a Deusa da fecundidade, da fertilidade e das searas de trigo.

Hades levou Core com ele para o reino das sombras.
A história é longa.

Deméter, entretanto, em protesto pelo rapto da filha abandonou o Olimpo e mantinha-se na terra, deixando-a seca e estéril.
Ajudada pela deusa Hécate, descobriu o paradeiro da luz dos seus olhos, Core ou, como mais tarde se chamaria - Perséfone.
Zeus propôs uma solução negociada, pois Core/Perséfone, durante a sua estada no Hades, tinha comido - o que impossibilitava o seu regresso... Só se podia escapar aos infernos se, durante a estada aí, nada se ingerisse.

E o que comeu Core?

Nem mais: um bago de romã.

A romã era o símbolo do casamento e, o facto de Perséfone ter ingerido um bago da dita significava isso mesmo: encontrava-se ligada, para sempre, ao seu esposo infernal, Hades.
O que se negociou então?: Perséfone podia dividir o tempo entre sua mãe e o marido.

Segundo o acordo, Perséfone passava seis meses, de Março a Setembro, os meses correspondentes à Primavera e ao Verão, com sua mãe Deméter, no Olimpo, cuidando da fertilidade da terra.

Os outros seis meses, correspondentes ao Outono e Inverno, de Outubro a Fevereiro - tornava para junto de Hades.

tags:

publicado por weber às 16:47
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Punica Granatum

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...