Sexta-feira, 8 de Julho de 2011

Miguel Guilherme, "o inconveniente"

O actor, que deu corpo a Bocage, que faz de Teresa e de Júlia no "último a sair", faz uma espantosa entrevista ao jornal i, que pode ler, na íntegra, por aqui.

Surpreendeu-me o carácter genuíno, sem medos, frontal com que aborda temas delicados.

Muitos colegas da bloga relevaram-lhe as opiniões sobre a politica cultural.

Eu, interessei-me mais por estes tópicos:

«Mudando de assunto, ficou contente com a saída de José Sócrates?
Não fiquei contente como aquelas pessoas que odiavam de morte o Sócrates. Acho que todos os ciclos acabam, e o dele chegou ao fim. Foi um político corajoso que se enganou redondamente em certas estratégias, sobretudo nos últimos dois anos de crise. É pena que o PS, quando está na oposição, seja socialista, e quando está no Governo seja centro esquerda ou centro direita. De qualquer forma, a economia está tão má que houve medidas que tiveram de ser tomadas, estivesse quem estivesse no governo. Estamos numa época de ganância total. E foi a ganância que lançou esta crise em 2008.
E a entrada de Pedro Passos Coelho e Paulo Portas em cena?
Não quero diabolizá-los como faz certa esquerda. Não sou liberal na economia, só noutras coisas, mas a coisa está tão má, e as soluções apontadas dos partidos à esquerda do PS são tão patéticas, perigosas e demagógicas, que gostaria que o PS tivesse um bocadinho mais de mão na coisa. Acho que eles estão eufóricos, vamos ver o que acontece. O FMI era inevitável, mesmo se o PEC 4 tivesse sido aprovado. O Sócrates também usou a ideia de que o chumbo fez o FMI bater à porta, mas eu acho que teve muito a ver com a conjuntura internacional. Se não houver um projecto político para a Europa, isto esfrangalha-se tudo. Acho que a ganância dos mercados continua, sobretudo vinda dos EUA. »

Notável de seriedade, bom senso e comedimento.


publicado por weber às 21:21
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Miguel Guilherme, "o inco...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...