Segunda-feira, 17 de Maio de 2010

Caminhos da Memória: o fim de uma ambiguidade

Pretenderam-se, como movimento, guardiões e carcereiros da memória da luta antifascista.

Começaram por escorraçar os comunistas.

Foram afastando gente da qualidade e da dimensão da historiadora, galardoada com o prémio Pessoa, Irene Pimentel.

Hoje anunciam que se calam, na blogooesfera.

Se é o reconhecimento da sua dimensão, pequena, parece-me bem.

Leiam a certidão de óbito deste blog das esquerdas relativas.

Hoje, o dia está muito necrófilo.

Foto do Forte de Peniche.

tags:

publicado por weber às 18:47
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Caminhos da Memória: o fi...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...