Sexta-feira, 12 de Março de 2010

New Yorker

As façanhas de Sócrates atravessaram o Atlântico.

Sabe-se que os serviços do judeu mais brilhante da actualidade, Georges Steiner, foram dispensados da tal gazeta New Yorker, para onde escrevia há mais de trinta anos.

De resto, esta produção vai aparecer em livro, traduzida para o francês e para a reputadíssima casa Gallimard.

Diz-se que Vasco Graça Moura, intelectual de grande valia e compangon de route dos sociais-democratas terá sugerido a Paulo Rangel, ou terá sido a Pacheco Pereira, que calhava bem uma Comissão de Inquérito para apurar o hipotético envolvimento de Sócrates nesta malfeitoria e um verdadeiro atentado, não só à liberdade de expressão, como à cultura, tout court.

Desmobilizem.

Desenganem-se.

Já se descobriu o, neste caso a responsável.

É a nova chefe de redacção daquela publicação americana, que despediu o "gigante", não só da cultura europeia, como do saber mundial.

Pierre Assouline, no seu blog, numa prosa comovente e  emocionante, dá-nos conta do "crime" e da "criminosa": Tina Brown.

Imperdível aqui

J.A.


publicado por weber às 18:48
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. New Yorker

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...