Quarta-feira, 1 de Fevereiro de 2012

A arqueologia portuguesa

A sanha persecutória deste governo em relação a algumas figuras gradas da nossa cultura (Mega Ferreira/CCB e Luís Raposo/MNA), fez-me recordar uma das figuras mais notáveis da última metade do século XIX e da primeira do século XX, José Leite de Vasconcelos (1858-1941).

E este pedaço para o recordar:

«Das "Religiões da Lusitânia":
"Ninguém duvida que, no viver de um povo, um dos elementos mais importantes é a religião. Domina os actos mais simples, como os mais complicados; tanto leva ao heroísmo como ao aviltamento; por ela se luta, e por ela se morre. Limitada ao que nela há de poético, é como um luar que alumia a consciência dos crentes, e os mantém em paz; transformada em fanatismo, origina todos os horrores, e infunde aos que a abraçam instintos de feras. Medianeira entre o natural e o sobrenatural, produz nos homens uma espécie de abstracção da realidade, em que eles, pelo misticismo, se tornam loucos, ou se julgam inspirados.
Quantos bens podem atribuir-se à religião! Quantos males a não têm por causa!"»


publicado por weber às 17:19
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. A arqueologia portuguesa

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...