Terça-feira, 26 de Outubro de 2010

FêFê, o justo

As crónicas deste jornalista são, de um modo geral, interessantes, assertivas, adequadas ao fluir do tempo e relevantes do ponto de vista do tema que suscitam.

A de hoje é, particularmente, importante.

Leiam-na aqui e por extenso:

«Foi há duas semanas e não reparei que tenha sido notícia de jornais ou telejornais. A ter aparecido, foi certamente sem destaque. Só através de blogues soube que o Avante!, jornal do PCP, escreveu sobre o assunto na última edição. Alguns jovens militantes comunistas queriam pintar um mural junto à Rotunda das Olaias, foram impedidos pela polícia e levados à esquadra. O jornal refere a Lei 97/88 de 17 de Agosto e um parecer do Tribunal Constitucional que legitima a pintura de murais. Se a lei diz isso sobre pintar paredes, a lei é burra. E suja. E duvidando eu que a lei seja tão permissiva, espero que os polícias impeçam que as paredes - como, por exemplo, o são no Bairro Alto - sejam borradas (e lendo o que escrevem, com raras excepções, burradas também). Impeçam como? Detenham os pintadores, levem-nos para a esquadra, processem-nos. Essa era uma notícia que eu gostaria de ler regularmente nos jornais tal é o crime cometido contra a cidade. Mas, sobre aquela notícia, o Avante! disse também que os jovens levados à esquadra foram "obrigados a despirem-se." Desculpem? Cidadãos levados para a esquadra são obrigados a despirem-se e isso fica em nota breve no jornal partidário interessado e cai em silêncio nos restantes? É tão inócua aquela humilhação que nem importa saber quantas foram a vítimas? Era bom darmo-nos conta da gravidade deste silêncio.»

O cronista do JN, Manuel António Pina também aborda o tópico, com a mesma indignação, mas com outro recorte literário


publicado por weber às 07:34
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. FêFê, o justo

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...