Sábado, 15 de Outubro de 2011

A cleresia e o actual governo

D. Januário Torgal Ferreira, Bispo da FFAA's, designadamente, e o resignatário de Setúbal, D. Manuel Martins foram muito severos com as medidas aprovadas e com o próprio Governo em funções.

As palavras, de um de outro, foram, mesmo, brutais.

D. Januário recorreu até ao léxico popular para exprimir a sua "raiva" quanto às medidas de austeridade aprovadas.

Leia-se aqui a referência e aqui tomado de empréstimo ao jugular.

Estas palavras têm importância? Têm, pois assumem a exemplaridade de Jesus, a da sua praxis historicista, menos a dos mitemas do Jesus Kyrios, mas mais a daquele que sofreu e morreu por amor dos pobres, das prostitutas, dos escravos, dos desvalidos e ainda menos se preocupava com os "senhores", os ricos, os actuais banqueiros e trafulhas da bolsa e da divida soberana.

A seguir, atentamente.

Depois, estas declarações vão ao arrepio das  palavras sobre o mesmo tópico de D. José Policarpo (de apoio ao Governo), do Patriarca de Lisboa.


publicado por weber às 12:34
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. A cleresia e o actual gov...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...