Sábado, 1 de Outubro de 2011

O Papa da igreja católica interessa-me

Eu sou cristão. Toda a minha cultura, os valores fundacionais derivam da moral cristã, dos valores vertidos no velho e no novo testamento.

A igreja, católica ainda, já é outra conversa.

Mas, estudioso da história e da antropologia, e da cultura das religiões sei, exactamente, "quanto" vale o Papa, Bispo de Roma e Sumo Pontífice dos católicos espalhados pelo mundo. Ainda são os que mais milhões mobilizam em todo o mundo.

As deslocações do Papa, para mim, são para ser acompanhadas com muita atenção.

A visita à Alemanha teve traços incomuns.

A crónica de Anselmo Borges é sobre isso e, a alguns títulos, interessante.

Leia-se aqui e estes dois pedaços:

«Quando o Papa visita a Alemanha, visita também o país da Reforma", declarou a chanceler Merkel. Bento XVI visitou em Erfurt o mosteiro onde Lutero viveu e a quem prestou homenagem, sublinhando a sua "paixão profunda" pela questão de Deus: "O pensamento de Lutero e a sua profunda espiritualidade estavam totalmente centrados em Cristo" e a grande pergunta de toda a sua investigação teológica e de toda a sua luta interior foi "como ter um Deus misericordioso".

Mas a grande frustração desta viagem foi precisamente a falta de um gesto concreto. Podia, por exemplo, levantar a excomunhão a Lutero, declarar a possibilidade da intercomunhão entre católicos e protestantes, proclamar a celebração em conjunto dos 500 anos da Reforma, em 2012. Também não pode ser indiferente à pergunta do Presidente Christian Wulff, católico praticante, divorciado e recasado: "Até que ponto a Igreja deve ser misericordiosa a lidar com os falhanços nas vidas privadas das pessoas?"»

tags:

publicado por weber às 10:39
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. O Papa da igreja católica...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...