Domingo, 13 de Maio de 2012

In memoriam

François Truffaut, teria 80 anos, se estivesse entre nós, em Fevereiro deste ano.

Um dos maiores cineastas de sempre, francês.

Realizou verdadeiras obras-primas.

Não sendo crente, gostava dos mortos, achava mesmo que não se respeitavam os grandes mortos, a quem os que vivem tanto devem.

Homenageava-os nos seus filmes. Nenhum em concreto, mas os valiosos, os que justificam a nossa existência e merecem não cair no esquecimento.

Todos nós temos exemplos de tal inépcia.

Um naco da banda sonora de "400 coups".


publicado por weber às 12:20
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. In memoriam

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...