Segunda-feira, 14 de Fevereiro de 2011

O Eduardo Pitta tem TODA a razão do mundo

No seu blog "Da Literatura" faz o que lhe apetece e fá-lo, normalmente, com elegância, com qualidade de escrita e com substância argumentativa.

Pode-se, claro que sim, discordar dele, sová-lo, mas não é tarefa fácil.

As suas qualidades intelectuais, a sua informação, as suas diversas competências são ferramentas consistentes.

Faz dias, escreveu um post sobre o Egipto e sobre a pouca confiança que tem nas Forças Armadas egípcias.

Para o ilustrar chamou à colação o exemplo português pós-25 de Abril e emitiu opinião "concisa".

Joana Lopes, que ele designa, com alguma graça e fina ironia, de "freira laica do Ralis" insurgiu-se, mas de modo, a meu ver, deveras deselegante.

A argumentos responde-se com pensamento. A insultos...

Eduardo Pitta decidiu, em meu entendimento, e bem, fustigá-la com os cilícios da inteligência.

Leiam-no por aqui com o título a condizer: encomenda

Importa pouco saber o que penso sobre o que escreveu Eduardo Pitta dos militares portugueses e a pretexto da nossa experiência nacional, mais ainda as extrapolações (porventura inexactas...) para o processo em curso no Egipto.

Mas o ponto é outro e, disso não tenho a mínima dúvida, direi como o fez Voltaire (homem livre, livre examinista, livre pensador e de bons costumes):"Não concordo com uma só palavra do que dizeis, mas defenderei até à morte o vosso direito a dizê-lo".


publicado por weber às 11:37
link do post | comentar | ver comentários (5)
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. O Eduardo Pitta tem TODA ...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...