Segunda-feira, 11 de Julho de 2011

Atlantis

Também remete para o mundo do vidro, do cristal, mas estamos a falar da nave espacial americana, que realizou a sua última viagem, transportando quatro astronautas que vão cumprir a missão de acoplagem à estação orbital ISS.

Visa verificar o estado em que se encontra a ISS.

Depois desta viagem os americanos deixam de ter naves com estas características, ficando na dependência das russas, que fazem parte integrante deste programa internacional.

Leia-se a noticia por aqui.

E na integra: « O vaivém espacial Atlantis acoplou-se à Estação Espacial Internacional (ISS) este domingo, naquela que será a última missão deste programa americano inciado há 30 anos, anunciou a Nasa. Segundo a AFP, o Atlantis acoplou-se à ISS às 15.17 GMT (16.17 em Lisboa, que está em hora de verão), informou o canal de TV da Nasa, que transmitiu as imagens da manobra em directo. A chegada da tripulação foi assinalada, como habitual, por badaladas de sinos, uma tradição herdada da marinha. O Atlantis tinha chegado à estação uma hora antes do previsto, situando-se a cerca de 200 metros abaixo dela. Durante a manobra, os astronautas da ISS fotografaram o exterior da nave. As fotos servirão para que especialistas avaliem se o aparelho sofreu algum dano durante a descolagem. A missão, de 23 dias de duração e que inclui em sua tripulação de quatro membros uma mulher, marca o final de uma era espacial, deixando os Estados Unidos sem naves capazes de colocar em órbita os seus astronautas

Adenda

Do meu leitor, Jaime Santos, publico, com prazer, o seu último comentário, que agrega informação complementar, de muito interesse:

«O prazer é meu. Gostaria de fazer no entanto um reparo ao seu texto original. O objectivo desta missão é, creio, fazer um fornecimento final de materiais à ISS . A verificação de que fala é uma verificação ao estado do Atlantis feita pelos astronautas na ISS e que passou a ser realizada de cada vez que um vaivém acopla à ISS desde o desastre do Columbia, como aliás resulta do texto que cita. O objectivo desta verificação é determinar se da descolagem não resultaram danos para as telhas ablativas do vaivém, causa do desastre do Columbia. Durante a descolagem, um pedaço do revestimento térmico do depósito de combustível ligado ao Columbia foi embater nas suas telhas ablativas, criando uma zona vulnerável às altas temperaturas durante o processo de reentrada na atmosfera, tendo sido isso que causou a desintegração do vaivém. Como em lançamentos subsequentes não foi possível evitar que outros pedaços de revestimento se soltassem, essa foi uma das razões que levou igualmente ao abandono dos voos dos vaivéns , por falta de segurança, além do custo. Enquanto eles duraram, fazia-se sempre a dita inspecção visual do revestimento, o que implicava a rotação do vaivém em 360 graus, uma manobra que é bastante espectacular

tags:

publicado por weber às 11:36
link do post | comentar | ver comentários (4)
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Atlantis

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...