Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011

Geração "rasca", geração "parva"...trava aí, que já chega de disparate

Parece uma lengalenga, uma cantilena, uma tartufice? Parece, mas não é.

Basta, seriamente, ler os números, os indicadores, os perfis, os tópicos da massa de desempregados para se perceber que a cantilena dos Deolinda, tendo muito de verídico, in extenso, está desajustada e ao lado da realidade...pelos menos, de um pedaço dela, realidade.

Leiam-me este post publicado no massamonetaria e logo nos podemos embrenhar na leitura rápida e nas constatações primorosas e finas.

Mas tomem lá disto, para baralhar um pedaço aquele naco "estudar para ser escravo":

"

2. Por outro lado, importa salientar alguns aspectos que despertam uma visão menos pessimista. Por um lado, o ritmo de degradação dos indicadores do mercado de trabalho está a abrandar: o número de desempregados aumentou 9.9%, em termos homólogos, no 4T2010, que compara favoravelmente com +28.7% no 4T2009; por outro lado, entre a população empregada, verificou-se uma redução dos indivíduos com menores qualificações e uma variação positiva, em termos homólogos e trimestrais, dos empregados com qualificações superiores ou iguais ao ensino secundário. Ou seja, gradualmente a força de trabalho torna-se mais qualificada, o que à partida favorece a capacidade de crescimento económico a médio prazo. Por outro lado, o facto de existirem movimentos aparentemente contraditórios afectando a população mais qualificada deverá indiciar desencontro entre a oferta e a procura relativamente ao tipo de qualificações/área de especialidade escolhidas pelos educandos e as privilegiadas pelo sector empresarial."


publicado por weber às 11:48
link do post | comentar | ver comentários (2)
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Geração "rasca", geração ...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...