Quinta-feira, 3 de Março de 2011

Cunhal na universidade

 

João Madeira, doutorando da Universidade Nova está a preparar uma Tese sobre o Partido Comunista Português e sobre a figura, ainda tutelar, nas afirmações do historiador, de Álvaro Cunhal.

É muito interessante as declarações que o académico prestou ao DN e a criar algum apetite para a leitura do trabalho que estará a ultimar.

Leiam-nas Aqui.

E estas, soltas, que eu destaco, pela sua óbvia importância:

'Isso, diz, "é visível na substituição de Carlos Carvalhas por Jerónimo de Sousa, que corresponde ao fim de um quadro prolongado de disputa pela herança de Cunhal, em que predominou uma perspetiva mais obreirista".

Assim, "a herança de Cunhal acaba por funcionar como uma espécie de justificação para um partido entrincheirado que se auto-legitima". O investigador defende que o PCP perdeu "a política de alianças que o caracterizou durante o combate ao fascismo" e que é hoje, 90 anos depois de ter sido fundado, "um partido virado para si próprio".

"É um partido que se auto-legitima em função da sua história. Aquilo que tem para mostrar é uma política que procura ser de classe e não uma política de alianças, que procure, à luz das transformações sociais de hoje, perceber quem são os aliados para transformações ou ruturas históricas", terminou.'

tags: ,

publicado por weber às 12:12
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Cunhal na universidade

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...