Sexta-feira, 13 de Maio de 2011

O consolo da literatura

 

Gosto, muito, da escrita da Ana Cássia Rebelo.

Adiro mais a uns textos em desfavor d'outros.

É assim com quase tudo na vida, à qual acresce a circunstância de, por vezes, estarmos de má catadura.

O que escolhi hoje é curto, quase como um sopro arrepelado, mas de uma beleza sem par, quase "disparate"..

Leia a andorinha que é bicho de estação.

De seguida:«Mostrei a tatuagem aos meus filhos. O mais velho, horrorizado, explicou-me que não tenho estilo para uma tatuagem. A minha filha do meio, indignada, arrepelando os cabelos, em estado de pura histeria, gritou-me que já não tenho idade para usar tatuagens. Valeu-me o mais pequeno que ainda encontra poesia nas coisas. Olhou o desenho, tocou-lhe e exclamou “Tens um passarinho tão bonito a voar no braço!”»

NB - Dizem-me que as andorinhas podem medir até 15cm e viver até aos oito anos.

tags:

publicado por weber às 07:33
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. O consolo da literatura

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...