Sexta-feira, 22 de Abril de 2011

A clarividência de um "alberguista"

 

No blog passista "albergue espanhol" moram seres lúcidos, clarividentes e pragmáticos.

Este post de Fernando Moreira de Sá é, a vários títulos, exemplar:Recordar 2009.

Percebe-se que Manuela Ferreira Leite era "velha" demais e estava desgastada. Entende-se que o actual líder do PSD é tenrinho que baste, mas está a insistir na mesma tecla da velha senhora: o Sócrates precisa de ser liquidado, trucidado, encostado à parede.

Tudo o indica, não vai ser tarefa fácil e, provavelmente, nem está ao alcance do juvenil líder.

Dia 5 de Junho veremos.

Até lá, gozem as vistas.

«Convinha ter memória.

É essencial não esquecer as razões que levaram o PSD a perder as legislativas de 2009: uma pré-campanha e campanha obcecada em Sócrates, nos seus defeitos e nos seus erros de governação; uma campanha que procurou demonstrar que Sócrates era o culpado de todos os males e que dominava a comunicação social a troco de uns quaisquer favores obscuros e mal amanhados; uma campanha que em vez de apresentar alternativas se centrou no Primeiro-ministro.

É verdade que Manuela Ferreira Leite procurou desmascarar o Portugal virtual de Sócrates e antecipou muito do que hoje se vive, economicamente falando, no nosso país. É verdade que MFL era o verdadeiro contraponto ao seu adversário: um currículo ímpar, uma experiência profissional e política vasta na área das finanças e economia e um discurso onde só entrava a verdade.

É, igualmente, verdade que MFL quis fazer uma campanha com um investimento mínimo/residual em comunicação política profissional e admiro a capacidade de sofrimento de quem, contra a vontade de MFL, procurou fugir a esse erro. Vivemos na era da comunicação e quem dela foge, não existe ou está condenado a desaparecer. Naquela altura, alguns já esqueceram, MFL tinha tudo para vencer: o desgaste de Sócrates, a economia em queda e ela, uma mulher séria e da área das finanças e com Paulo Portas, à sua direita, desgastado por causa dos submarinos e dos sobreiros que o PS se encarregava, constantemente, de relembrar. Mas perdeu.

Por isso, enquanto é tempo, convinha o PSD relembrar esses tempos e todos os erros cometidos em 2009. Hoje, por muito boa que seja, e é, a máquina de comunicação de Sócrates, Portugal ainda está pior e o PM bem mais desgastado. A única coisa que permanece é a vertigem suicida, como bem lembrou ANLeite no Conselho Nacional, de uma parte dos militantes do PSD, eternos defensores do “quanto pior, melhor”. A única coisa diferente nestas legislativas é o candidato a PM do PSD pois nos restantes partidos são “os do costume”: Louçã, Jerónimo, Sócrates e Portas.

A marca de diferença do PSD 2011 em relação ao PSD de 2009 não pode ser apenas e só o líder. A estratégia, a campanha e a apresentação de propostas reais e válidas terá de ser, substancialmente diferente para o resultado não ser, catastroficamente, igual.

Quem avisa»


publicado por weber às 10:23
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. A clarividência de um "al...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...