Sexta-feira, 24 de Junho de 2011

Do ressentimento

Surripiado ao Pedro Mexia, a quem se agradece e, com a devida vénia, se publica:

"Eu gostava que o «ressentimento» fosse de facto a «mágoa que se guarda de uma ofensa», toda a gente guarda mágoas de alguma ofensa, é normal, mas temo que o ressentimento moderno seja bem diferente disso, que seja o ódio que se guarda de uma diferença."

Eu sei de que fala o poeta e cinéfilo, amante, como muitos de nós, de René Magritte.

Mas, basta olhar para a expressão do deputado Fernando Nobre, da bancada social-democrata, para se poder usar este quase aforismo, como legenda, por baixo daquela imagem.

tags:

publicado por weber às 19:47
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Do ressentimento

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...