Quinta-feira, 14 de Julho de 2011

Crónica bem humorada, mas ácida

O cronista-mor do DN e do país assina hoje crónica, aparentemente, bem humorada.

É um guião sobreposto à figura lendária do agente 007, mas tem pernas para ser uma sucessão de takes para o filme da série negra que a Europa está a viver na actualidade.

Leiam-na por aqui.

Só de imaginar Durão Barroso, como secretária de M, a chefe de James Bond...e mais não digo, por pudor e decência.

Percorram-na já: «Perguntam-me se sou a favor dos eurobonds. Claro, a 007 por cento! "Meu nome é Euro, Euro Bond", e em vez da Ursula Andress resgatava-se a Grécia, em vez do bikini, a tanga. O actual drama financeiro europeu ganharia em seguir os cenários de Ian Fleming e a fleuma de Sean Connery. A surpresa pela entrada de Itália entre os aflitos passava a titular-se "Nunca mais Digas nunca". A repetição do resgate grego vinha com um aviso: "Só Se Vive Duas Vezes." A chegada da troika a Lisboa era a "Operação Relâmpago". E Portugal procurava variantes: "From Angola with Love", "From Brasil with Love"... As agências de rating tinham "Licença para Matar", o FMI chama-se "Dr. No", e o misterioso George Soros era o "Goldfinger". Os agentes económicos estavam todos "Ao Serviço de Sua Majestade", naturalmente a dona Angela Merkel, também conhecida como M., o patrão de 007, cuja secretária é Miss Moneypenny (esta interpretada por Durão Barroso). Com algumas variações (os mercados apostavam mais no ouro do que nos "Diamantes São Eternos"), a política financeira continuava a repousar no "Casino Royale", ora na roleta, ora nos dados, ora nos hedge funds, ora nos credit defaut swaps, mas sempre, para alguns, com jackpots de prémio. Com eurobond-girls bem escolhidas, era o sucesso

tags:

publicado por weber às 10:33
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Crónica bem humorada, mas...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...