Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2011

Para o ano, não haverá desculpas e, por certo, perdão

Quem o diz é o meu analista de referência, preferido e estimado, e, eu, acredito piamente.

Surripiado no "câmara corporativa", certeiro, como é seu hábito:

"Pedro Adão e Silva, A tragédia portuguesa:

      ‘(...) o essencial dos problemas que enfrentamos não é nem culpa de Sócrates nem resulta de termos vivido acima das nossas possibilidades. Enquanto o tempo se encarregará de afastar estas explicações, a crise continuará por cá, mostrando a sua natureza persistente e fazendo emergir o emaranhado de causas que a provocou. Para o ano, o Governo já não poderá responsabilizar Sócrates pelo desvio colossal que ocorrerá na receita fiscal (provocado por uma queda do produto superior aos 3% agora estimados) e dificilmente alguém será capaz de, perante um país empobrecido e com desemprego muito elevado, enveredar por um discurso de responsabilização moral, em que se procura culpabilizar os portugueses pela situação em que se encontram. O Governo ficará entregue à sua soberba.’

publicado por weber às 22:32
link do post | comentar | ver comentários (2)
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Este é um belíssimo texto...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...