Segunda-feira, 9 de Agosto de 2010

Zita Seabra, em discurso directo

 

A editora e mulher do norte, tem banca montada, uma vez por semana, no Jornal de Noticias.

Desta feita dedicou-se a escrutinar a nossa justiça versus tempo, falta de tempo. Isto a pretexto do despacho final do caso "freeport" e da "responsabilidade" que os senhores magistrados do ministério público imputaram ao tempo para não terem ouvido o senhor primeiro-ministro e o ministro da presidência actual. Mas, pequenitos génios da magistratura, não se deram por achados: - Não pudemos falar com eles, mas ficam lavradas no despacho as 27 perguntas para o primeiro e as dez para o segundo.

Tais perguntas nunca se aproximaram dos questionados.

Não serviriam, ao que se diz, para coisa algum em termos de apuramento de qualquer verdade processual.

Então, pergunta-se, e Zita Seabra também AQUI o faz, para que servem?

 

tags:

publicado por weber às 11:53
link do post | comentar
partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. O Evangelho de S. João

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...