Terça-feira, 24 de Janeiro de 2012

Manuel Carvalho da Silva, o Lula da Silva português?

Parece que o trilho, como SG da CGTP, terminou para o sindicalista vindo do Minho profundo, às cavalitas de uma profissão de electricista e a cavalo numa experiência de "jocista", enquanto jovem.

Filho, ao que penso saber, de gente ligada á lavoura, tinha tudo para ter dado um belíssimo clérigo.

Quis deus e o destino, que a carreira fosse outra.

Vinte e sete anos como SG, e único, pois o lugar estava guardado para Canais Rocha, que foi afastado misteriosamente logo a seguir ao 25 de Abril...por injunção das cúpulas comunistas.

Fugazmente, "sucedeu-lhe" um gráfico nortenho, Armando Teixeira da Silva, mas como coordenador da Comissão Executiva, cargo que foi de Carvalho da Silva ainda antes de virar SG, anos mais tarde. 

Já se reparou que isto é tudo corrido a "Silva", os dois portugueses, o brasileiro e até o actual PR português vai de Silva...afinal.

Entretanto, hoje, no dn, uma data de "politólogos" lançaram as cartas para saber o futuro do quase ex-SG da CGTP.

Vejam aqui as adivinhações.

O que se sabe de fonte segura é que o sindicalista, Doutor e quase Professor, já lecciona para Coimbra nas suas áreas de competência.

Este aspecto académico e científico está, pois, arrumado.

Disse o próprio, faz uns quantos meses, em entrevista longa, que ficaria, sempre, ligado à CGTP.

Admito que desencantem um cargo honorífico (Presidente, por exemplo...) à semelhança do que fez o PCP com Álvaro Cunhal, quando foi substituído por Carlos Carvalhas.

Admito que possa vir até a ter alguma actividade internacional no quadro da OIT ou, mesmo, no quadro da ONU, no seu Comité Económico e Social, mas parece-me mais fadado para a OIT...

Carvalho da Silva investiu, sempre, muito pouco na politica e partidária.

Teve sempre fortes apoios na direcção do PCP, empenhou-se, até quase à exaustão, em ter um valor próprio, mas NUNCA entrou em ruptura com o Comité Central, não deixando de marcar o seu posicionamento, escudado numa espécie de estatuto que conquistou por mérito próprio, "convergência" de todas as sensibilidades presentes na Central Sindical (socialistas, católicos, esquerdistas, independentes e, por fim, comunistas...onde tinha adversários).

Portanto, não me parece que Manuel Carvalho da Silva procure um futuro na politica, território onde NUNCA investiu.

Não me parece que o sindicalista se imagine a ocupar o cargo de Presidente da República, ou sequer de ministro do trabalho num qualquer governo de centro-esquerda.

Esperemos, pois e também, já não falta assim tanto, para ver o que vai ocorrer no Congresso próximo da Intersindical.

Depois, podemos voltar a conversar.

Agora, Carvalho da Silva, o Lula da Silva português?...nem por um bocadinho se coloca tal possibilidade.

Mas, como diz o cego, quem viver verá.


publicado por weber às 16:21
link do post | comentar
partilhar
:
De artesaoocioso a 25 de Janeiro de 2012 às 16:17
Concordo com tudo o que afirma, apenas uma excepção : o currículo cientifico de Carvalho da Silva tem... pouco de cientifico.
Sei como fez o curso e os dois (?) livros que tem publicados são mediocres.
Isto já lhe foi dito pessoalmente.
Esta excepção não lhe retira o mérito da sua navegação nas águas turvas da C.G.T.P.
Penso que poucos saberiam fazê-lo melhor e durante tanto tempo.
Quanto ao seu futuro, nada vaticino, expecto a Presidência da Républica : não descortino como.
Cumprimentos


Comentar post


. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. The End

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...