Terça-feira, 14 de Julho de 2009

Albert Camus

Nasceu na Argélia em 1913 e morreu, num estúpido acidente rodoviário, em 1960.

De uma das suas obras, hoje ainda de leitura obrigatória, O Homem Revoltado, este pedaço:

 

"Ao protestar contra a condição naquilo que tem de inacabado, pela morte, e de disperso, pelo mal, a revolta metafísica é a reivindicação motivada de uma unidade feliz contra o sofrimento de viver e morrer. (...) Ao mesmo tempo em que recusa sua condição mortal, o revoltado recusa-se a reconhecer o poder que o faria viver nesta condição. O revoltado metafísico, portanto, certamente não é ateu, como se poderia pensar, e sim obrigatoriamente blasfemo. Ele blasfema, simplesmente em nome da ordem, denunciando Deus como o pai da morte e o supremo escândalo."

tags:

publicado por weber às 18:22
link do post | comentar
| | partilhar
:
De Logros a 14 de Julho de 2009 às 20:07
Este e o Sartre foram grandes focos de respiração, para a juventude de um certo país labrego, beato e salazarista.

I.


De weber a 14 de Julho de 2009 às 20:54
Bendita seja.
J.A.


Comentar post

.pesquisar

 

.posts recentes

. The End

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...