Sábado, 27 de Junho de 2009

Camões

Perdigão perdeu a pena

 

Perdigão perdeu a pena
Não há mal que lhe não venha.

 

Perdigão que o pensamento
Subiu a um alto lugar,
Perde a pena do voar,
Ganha a pena do tormento.
Não tem no ar nem no vento
Asas com que se sustenha:
Não há mal que lhe não venha.

 

Quis voar a u~a alta torre,
Mas achou-se desasado;
E, vendo-se depenado,
De puro penado morre.
Se a queixumes se socorre,
Lança no fogo mais lenha:
Não há mal que lhe não venha.

 

Luís de Camões

 

tags:

publicado por weber às 15:54
link do post | comentar
| | partilhar
:
De Logros a 27 de Junho de 2009 às 16:55
Hmmm, desconfio de quem é este perdigão...
Mas mesmo um pouco desasado, leva a palma a galinholas e galifões sem crista. :))))))

I.


De weber a 28 de Junho de 2009 às 01:57
Touché.
Abraço,
J.A.
PS- Como vamos de saúde?
Essa malfadada constipação já emigrou?


De mdsol a 28 de Junho de 2009 às 22:25
Acho que entendi.

: ))


De weber a 29 de Junho de 2009 às 01:37
Pois....
:)))


Comentar post

.pesquisar

 

.posts recentes

. The End

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...