Quinta-feira, 25 de Junho de 2009

O economista e a história

Há um debate, já menos entre os historiadores, mas mais entre os políticos que representam as marcas Viseu e Guimarães, para se afirmar, categoricamente, onde nasceu D. Afonso Henriques.

Em visita a Guimarães, Aníbal Cavaco Silva, economista, resolveu, de uma penada o PROBLEMA que infernizou gerações de historiadores.

Veja-se Aqui a pérola.

Destaco a passagem em que o economista (tem-se verificado, nos tempos que correm que nem o passado estes entendidos em economia conseguem prever, menos ainda o futuro e, sobre o presente, basta ouvir a Dr.ª Manela e a Professora Teodora, para ficarmos conversados...) resolve o problema do lugar de nascimento:«Às duvidas dos historiadores, respondemos, e basta: viu a primeira luz em terra que tornou Portugal e, afortunadamente, nasceu quando foi necessário». 

Senhor Presidente, os historiadores já resolveram o problema.

D. Afonso Henriques nasceu a 9 de Agosto de 1109, em Viseu.

Agora, existe um mito persistente: Guimarães é o berço da nacionalidade e, por isso, puseram, alguns cidadãos, o nosso 1.º Rei a ser parido aí.

Agora, o senhor que é economista e, actualmente, está Presidente da República (cargo que não lhe atribui qualquer competência historiográfica), porque se foi meter em assados?

Aos historiadores o que é dos historiadores: a história e a escrita da história.

Já percebi que, no seu Gabinete, não há historiadores: mas olhe que, para estas ocasiões, dava-lhe jeito ter um por perto.

J.A.

NB - Senhor Presidente, se, porventura, passar pela minha rua, pode ler, com proveito, este meu poste e o comentário de um especialista na matéria que, à época, teve a amabilidade de comigo corresponder. Pode ler-me  Aqui


publicado por weber às 00:35
link do post | comentar
| | partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. The End

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...