Domingo, 21 de Junho de 2009

"Que nos espera?"

Uma forma enorme de homenagear João Bénard da Costa, mas colocando a questão das questões existenciais, que tão bem soube centralizar Albert Camus: não nascemos como somos. Estamos sempre a construirmo-nos. Mais importante que o prazer ou o poder (Freud e Adler) o sentido da vida é o que nos mobiliza e, de algum, nos determina.

Os que procuram, incessantemente, o prazer, e o realizam, são felizes?

Os que se encharcam de poder, e o exercitam são mais felizes que outros?

O meu "padre", Anselmo Borges responde Aqui

 Destaco este pedaço:

«A existência caminha de sentido em sentido - o que vamos realizando. Mas, um dia, somos confrontados com a pergunta: qual é o sentido de todos os sentidos? Este é o núcleo da questão religiosa: o quê ou quem dá sentido último à existência, para que não fique na situação da ponte que não encontra o outro lado, a outra margem? Porque, sem o Sentido último, os caminhos de sentido não vão dar a lado nenhum. 

"Conhecer Deus" era a maior esperança para João Bénard da Costa, que, por isso, podia dizer: "Acredito que esta vida não pode acabar aqui: nada faria sentido, para mim, se assim fosse".» Anselmo Borges

Foto de Cartier-Bresson.

tags:

publicado por weber às 14:41
link do post | comentar
| | partilhar

. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. The End

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...