Sexta-feira, 12 de Junho de 2009

Sérgio Ribeiro

Tenho assistido, com algum distanciamenro, a um debate em que se envolveram alguns blogers a propósito de um ranking classificativo relativo à actividade dos deputados portugueses no Parlamento Europeu.

Já ouvi vários deputados a falarem sobre a "classificação" que lhes foi atribuida.

O Sérgio Ribeiro levou a peito e a "mal" o que lhe calhou na "rifa" e, sobretudo, as interpretações daqueles blogers.

Não precisava.Não havia necessidade.As suas explicações são, quase, irrelevantes.Falasse ele do ranking do seu mandato completo...e as coisas teriam outro colorido.

No primeiro mandato, que o levou direito e até ao fim, convidado pelo então S.G. Carlos Carvalhas, seu amigo de longa data, economista como ele e na lista encabeçada pelo comunista mais brilhante do pós-vinte e cinco de Abril, Luís Sá, foi, se bem me lembro considerado o "melhor" deputado português de "sempre", desde 1987.

Por outro lado, os que participaram no "debate" com Sérgio Ribeiro não sabem (ou, talvez, ignorem...), este é dos maiores e, porventura, o mais antigo (em idade) europeista que temos, vivo, em Portugal.

Ainda alguns de nós não eramos nascidos, já Sérgio Ribeiro, consultor da O.I.T., publicava livros sobre a CECA, sobre o Tratado de Roma, sobre a declaração Schumann, sobre o COMECOM (esta era a organização económica dos países socialistas), sobre o Conselho da Europa, sobre, sobre...

A bibliografia de Sérgio Ribeiro é extensa e não o desmerece, muito pelo contrário, nesta matéria europeia e comunitária.

Creio mesmo, que a sua tese de doutoramento, na Université Libre de Bruxelles, patrocinada pelo seu amigo Jacques Nagels, versa, exactamente, sobre a CEE (não tenho a certeza disto...).

Depois, em pano de fundo, existe a relação "dolorosa" de Sérgio Ribeiro com o "Partido", com o seu Partido de sempre: o P.C.P.

Nunca se lhe ouvirá um lamento, um queixume, uma critica, um aviso que seja ao "colectivo" partidário.

Quando foi substituido por um  jovem, número 2 da inenarrável Ilda Figueiredo, Sérgio Ribeiro foi-o sem razão aparente e de éspecie alguma.

Por incompetência? Não.

Por deslealdade? Não.

Para renovar? Não.

Para isso teria ganho o PCP em substituir Ilda Figueiredo: eurocéptica, eurocritica, anti-europeista.

Sérgio Ribeiro, sempre foi um europeista, competente, dos que acompanha a CEE e conhecedor dos seus meandros e "eurocratas" (a partir de Bruxelles, desde 1964...) como o foi o seu camarada e amigo Luís Sá, mais recentemente, infausta e prematuramente desaparecido.

Nem tudo o que parece ser...é.

Nem tudo o que é...se deixa transparecer.

Hesitei muito em dar o meu "contributo" neste assunto, que só vale,para mim, pela dimensão "humanista" de "auto-punição", de flagelação de Sérgio Ribeiro em relação ao seu Partido (que já não existe, mas que ele teima em acreditar que é o mesmo da década de sessenta do século passado), que eu não compreendo ( a postura de Sérgio Ribeiro) mas SEMPRE respeitei, mesmo quando com ele convivi.

J.A. 

PS- Curiosamente, ou nem por isso, as televisões, ou radio, quando querem debater a Europa, a sério, quem convidam da área do PC? Sérgio Ribeiro, sempre.

tags:

publicado por weber às 15:04
link do post | comentar
| | partilhar
:
De Sofia Loureiro dos Santos a 12 de Junho de 2009 às 16:56
JA , respeito-o como respeito todas as pessoas, a não ser que me demonstrem que não são respeitáveis.

Sérgio Ribeiro não aceita /aceitou um esquema de avaliação de desempenho de deputados europeus. Está no seu direito. Mas não está no direito de apelidar de anticomunista primário e outras coisas quem comenta essa mesma avaliação. Também não me parece respeitável que misture explicações pessoais com explicações públicas, e ainda menos que não assuma a sua discordância com um artigo publicado no Avante.

Não gosto deste tipo de polémicas nem de ser injusta. Não me parece que o tenha sido, independentemente do trabalho e do mérito que Sérgio Ribeiro tenha.


De weber a 12 de Junho de 2009 às 19:38
Cara Sofia,
1/ O poste, que eu escrevi, como concerteza reparou, não se dirige a si;
2/O que escrevi vai, exclusivamente, para o Sérgio Ribeiro, que conheço há muitos anos, mas de quem hoje, quase tudo me separa (até a geografia);
3/Acho que o Sérgio Ribeiro não tinha nada que se meter (como o fez...) na discussão, que, em bom rigor, nos primórdios, nem o era;
4/Fê-lo. E, como quem anda à chuva, molha-se!...
5/Como eu o conheço, razoavelmente, pareceu-me ser meu "dever" deitar uma "acha" para a "fogueira" de um drama "em gente", que alguns comunistas viveram e, outros ainda, vivem.
Isto são contas de outro rosário e nada tem a ver com ranking's avaliativos.

O meu poste não emite, nem sequer sugere (se tiver a paciência de o reler) nenhuma critica ao que a Sofia escreveu, menos ainda ao modo correcto como aborda as discussões, que eu tenho acompanhado, e esta, com o Sérgio Ribeiro não fugiu desse seu registo cordato, inteligente, argumentativo, sempre.
Introduzi algumas correcções e pequenos acrescentos ao texto que a Sofia leu.
Com consideração,
J.A.


De Sofia Loureiro dos Santos a 12 de Junho de 2009 às 19:44
JA, embora não se me tenha referido, senti que este post também me era dirigido. De qualquer das formas fica o esclarecimento... e muito obrigada.


Comentar post


. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.pesquisar

 

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. The End

.arquivos

.tags

. todas as tags

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...