Terça-feira, 9 de Junho de 2009

A galáxia de Andrómeda (M31) vista pela GALEX

Porque é que a galáxia de Andrómeda tem um anel gigante à sua volta? Vista no ultra-violeta, M 31 parece mais uma galáxia anelar do que uma galáxia espiral. De facto, nesta imagem obtida pelo satélite GALEX, lançado no passado mês de Abril, é bem patente a existência de um anel de estrelas jovens e de várias regiões de formação de estrelas. A origem deste anel com mais de 150000 anos-luz de extensão é desconhecida. A galáxia Andrómeda encontra-se a mais de 3 milhões de anos-luz de distância e é suficientemente brilhante para ser visível ,mesmo sem a ajuda de binóculos, na direcção da constelação com o mesmo nome.

Os créditos fotográficos: GALEX; Caltech; NASA


publicado por weber às 18:03
link do post | comentar
| | partilhar
:
De Logros a 9 de Junho de 2009 às 20:49
É assim mesmo JA. Lindo e extraordinário.
Para além do exercício dos sabores das coisas do mundo, cá em baixo, contemplemos as super-novas, enquanto se pode.

Mas a propósito do "erro de paralaxe" das europeias. Não é isso que os "astrónomos" da chamada Oposição, mais praticam e induzem a praticar?

Os ciclos históricos, suponho, repetem (embora de forma não sobeponível) as crises e a previsível ascensão de Direitas, narrativas salvíficas, xenofobias várias, freudianos apelos a "protectores" e "homens providenciais". Contudp o tempo da ascensão dos fascismos europeus não volta mais.
Não será assim?

A palavra a quem sabe. O JA.

I.


De weber a 9 de Junho de 2009 às 21:31
A existência da ideia de uma Europa de Paz celebrada por Schumann, Paul Henri Spaak, Adenauer, nomeadamente e à saída da 2.ª Guerra Mundial e a União Europeia de hoje, com 19 países (a votarem), mas já com 27 países aderentes, garantem-nos muitas coisas.
A impossibilidade de guerras da dimensão dos dois conflitos devastadores do século XX e na Europa (ele há conflitos periféricos, mas resultantes da implosão do império soviético: Balcãs, Tchétchenia)designadamente.
Quanto à emergência de fascismos, não creio ser possível.
Conseguimos, sem grandes danos, viver com a experiência daquele fascista austriaco (que morreu faz pouco tempo) e com aquele outro partido de extrema-direita da Holanda.
As últimas eleições europeias assinalam um crescimento residual dos extremos: direita e esquerdistas.
Mas o centro direita liderante, seguido de não muito longe do centro esquerda "dominam" o Parlamento Europeu!
É isto que impede a "subida" dos fascismos, mesmo no meio da maior crise financeira, económica e social dos últimos oitenta anos.
Se combinarmos isto com o "factor" Obama!...penso, sinceramente, que, dessa preocupação...podemos estar descansados.
Tenho mais receio dos extremos de esquerda em Portugal (BE e, sobretudo, do PCP) que da nossa direita (PSD e CDS), que são civilizados, porventura pela genética dos seus pais fundadores: Francisco Sá
Carneiro e Diogo Freitas do Amaral.
Em meu entender, temos razões para estarmos tranquilos, mas sempre vigilantes e com intervenção cívica, de modo a denunciar e "matar" qualquer deriva desse jaez, por pequena que ela seja.
Abraço grande,
J.A.


Comentar post

.pesquisar

 

.posts recentes

. The End

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...