Quarta-feira, 20 de Maio de 2009

Em louvor de IDA, o fóssil, que abriu uma janela para a história

 

tags:

publicado por weber às 00:14
link do post | comentar
| | partilhar
:
De Logros a 20 de Maio de 2009 às 02:13
Esta canção é lindíssima. Tem uma nostalgia comovente. E tem uma história. Atravessou as "frentes" de batalha dos exércitos inimigos, na Segunda Guerra Mundial. Era alemã, mas os soldados "inimigos" cantsavam-na nas respectivas línguas. Talvez porque fala de um reencontro amoroso, se calhar nunca mais possível, fora da caserna e à luz de um lampião.

Esta canção é a demonstração do poder ecuménico da ´Música, para além de todas as tiranias.
Obrigada por a relembrat aqui.
O J. A. põe posts tão interessantes, que se os fosse a comentar a todos, não fazia mais nada.


Até breve.

I.


De weber a 20 de Maio de 2009 às 11:29
Muito obrigado pela bondade do seu comentário.
Aceite ainda os meus agradecimentos pela qualidade e competência das suas observações, opiniões e informações.
É, para mim, um prazer, sempre renovado, e nunca defraudado, "ouvi-la.
Quando andei no Youtube em busca desta canção encontrei outras versões, noutras linguas, mas, para mim, a voz de Marlene Dietrich é a que mais me perturba e emociona...
Obrigado por me visitar.
Abraço sentido,
JA


Comentar post

.pesquisar

 

.posts recentes

. The End

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...