Terça-feira, 19 de Maio de 2009

Paulo Rangel não é real

Vejam-se os cartazes do menino Paulo, com novo visual, para lhe dar uma ar mais credível, para ver se melhora a sua cotação de mercado.

Esta do assinar por baixo, em tempo de crise no sistema financeiro mundial, falar em fundos europeus, cheira um pedaço a esturro, não vos parece?

Muitas mensagens, muito ruído, muita perturbação, muitas cores, porque estas valem, também, como mensagens.

Cada cartaz, como diz o outro em relação às minhocas: "cada cavadela, cada cartaz!"

E o último é sempre mais espantoso, que o anterior.

J.Albergaria 


publicado por weber às 17:41
link do post | comentar
| | partilhar
:
De r a 20 de Maio de 2009 às 10:37
Bom dia. De facto, também eu, não consigo alcançar a mensagem destes cartazes.
Pergunto - o que pretendem estes cartazes transmitir??? Qual é a mensagem?? que propostas para a Europa???.
Só um facto positivo, enfim e finalmente aparece o candidato.

Abraço.


De weber a 20 de Maio de 2009 às 11:07
Nem sei se, o facto de...aparecer a "imagem" do dito candidato, o torna em algo de positivo...
Não tenho a certeza, mas também não faço questão de questionar os cartazes por aí.
Abraço.
JA


De xadrezismo a 21 de Maio de 2009 às 00:25
O que sugiro é que se faça o relacionamento entre este cartaz e alguns outros factos recentes, para se concluir que regressou "a verdade a que temos direito", mas agora alaranjada...

Desenvolvi em http://sol.sapo.pt/blogs/xadrezismo/archive/2009/05/19/A-QUE-DINHEIRO-SE-REFERE-PAULO-RANGEL_3F00_.aspx

Cumprimentos


De weber a 21 de Maio de 2009 às 09:43
Certeiro.
Fui ao seu blog e li com prazer a diacronia que você sugere, entre a estratégia comunicacional actual de MFL e o vanguardismo PCP, do passado, que se manifestava através do "órgão" O Diário, o tal que trazia em rodapé do titulo "a verdade a que temos direito".
Muito bem observado.
Cumprimentos,
JA


Comentar post

.pesquisar

 

.posts recentes

. The End

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...