Terça-feira, 19 de Maio de 2009

Os marqueteiros do PS perderam, uma vez mais, a tramontana

Vejam-me este cartaz!

A frase, a ENORME, esmaga a "boa moeda", NÓS, EUROPEUS, que, acreditava eu, seria a "assinatura" de toda a campanha.

Mas, alguém o saberá, inventaram, agora, uma "grande" , com Portugal.

E o que fizeram à pátria bem amada?

Antecederam-na de um POR!!!

Já repararam que, a esta escala bloguista, o 1.º POR encosta às três primeiras letras da pátria: POR. Ou melhor dito: repete-as!

Na escala real, 8m X 3m, ainda é pior o efeito visual.

Eu, se fosse professor dos marqueteiros que inventaram esta frase, dava-lhes nota negativa e mandava-os pagar as despesas do cartaz.

De borla, que tal esta alternativa:

"COM PORTUGAL,

MAIS EUROPA"

Mas, e continuo, teimosamente, a sustentar, esta 2.ª frase introduz ruído na campanha.

A frase, assinatura, depurada, minimalista, por isso eficiente, NÓS, EUROPEUS, é que deverá, deveria ser mantida até ao dia 7 de Junho.

E mais não digo.

J.Albergaria


publicado por weber às 12:04
link do post | comentar
| | partilhar
:
De r a 20 de Maio de 2009 às 10:39
Concordo e subscrevo.

Com este POR PORTUGAL, MAIS EUROPA, perde-se a marca do PS. Nós EUROPEUS.
abraço


De weber a 20 de Maio de 2009 às 11:12
Caro amigo,
As nossas (digo:amadorenses saberes) competências criticas nesta matéria de comunicação politíca davam, e sobravam, para não deixar cometer estes erros de palmatória.
Ontem aprendi uma coisa deveras interessante.
O paradigma da comunicação (qualquer que ela seja e a politíca por maioria de razão...) dve assentar, sempre, da abordagem dos três S's, que iniciam três palavras inglesas.
Depois, ao vivo, partilharemos as palavras.
Abraço,
JA


De Logros a 21 de Maio de 2009 às 03:43
Em termos de estratégia comunicacional, que tem a ver também com "timings" e sondagens, não acho assim tão errada a modificação.
O PS ou os seus "experts" do marketing já sabem nesta altura que o poviléu se vai baldar à grande. Que nada percebe da importância do que está em jogo e da nossa impossível existência fora dfa U. E.
Infelizmente as guerrilhas sistemáticas da Oposição (do PP ao BE) contra Sócrates e o Tratado de Lisboa, só pioraram as coisas.
Assim, este Cartaz é uma concessão mais "doméstica" à ideia de europeísmo, dado que o tuga médio, infelizmente pouco actualizado, ainda se julga no tempo do "orgulhosamente sós". Quem ouvir os programas de rádio e de tv, com participação popular, via telefone, fica elucidado.

Logo aquele "Por Portugal" é a nível semântico uma reiteração nacionalista, tipo: "vota que isto é contigo". A nível morfológico e fónico há uma repetição do "POR". É uma figura retórica de repetição.a
A repetição de um sílaba, que não é uma sílaba qualquer, pois é a primeira do nome do país, torna a fixação mais "redonda" e fácil, para um público iletrado, que gosta do Quim Barreiros.
Digamos que com todos os simplismos, não inocentes, prefiro este cartaz ao convencional e carneiral "assino por baixo" do PSD, com aquele lindo mancebo amanuense de bancada, à direita dos 8 metros. Poderei estar errada, mas a minha análise é esta.

Ponha mais J A para nos divertirmos a topar as estratégias.....

Abraço

I.


De weber a 21 de Maio de 2009 às 09:39
Percebo a sua abordagem e admito que possa fazer sentido.
Mas aquele "Por Portugal", Por D. João Mestre de Aviz; Por Salazar; Por Portugal, marchar, marchar; além de, fonicamente, me perturbar, acho que havia alternativas, conseguindo-se o efeito que a minha boa amiga acha que esta frase alcança.
Abraço,
JA


Comentar post

.pesquisar

 

.posts recentes

. The End

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.últ. comentários

Chame-me Parvo….Pois é, Sr. Pedro Tadeu, é isso me...